menú responsive
AMÉRICA | Satélites
-/5 | 0 votos

Projeto em associação com os Estados Unidos e Israel

Brasil inicia processo de construção do Itasat-2

Itasat-1. Foto: AEB/ITA

Itasat-1. Foto: AEB/ITA

28/07/2020 | Belo Horizonte    0

Roberto Valadares Caiafa

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), localizado em São José dos Campos (SP), realizou a reunião de kick-off do projeto Itasat-2, por videoconferência, em meados do mês de julho.

O Itasat-2 é um projeto de voo de formação de três satélites para fazer investigações científicas e tecnológicas na ionosfera. Trata-se de uma continuação da pesquisa iniciada com o projeto SPORT, um nanosatélite com a finalidade de investigar o clima espacial.

A sua importância reside no fato da ionosfera ter uma influência muito grande nos sistemas eletrônicos atuais utilizados em nossa sociedade, tais como o GPS (que em português significa Sistema de Posicionamento Global), de comunicações e de transmissão de energia.

Reunião Virtual

 

Participaram do evento online, autoridades do Ministério de Defesa; do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; da Agência Espacial Brasileira (AEB); do Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA); e do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

Também se reuníram pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e do Observatório Nacional.

Além dos integrantes brasileiros, a reunião contou, ainda, com a participação internacional da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA), da Universidade Estadual de Utah (USU) e da Universidade do Texas em Dallas (UTD) dos Estados Unidos, além do Instituto de Tecnologia de Israel‎ (Technion).

Após a introdução feita pelo Reitor do ITA, Professor Doutor Anderson Ribeiro Correia, os professores Luís Loures e Christopher Shneider, do Centro Espacial do ITA (CEI), explicaram os procedimentos do Estudo Pré-Fase A.

Esses estudos deverão transcorrer até outubro e serão divididos em duas fases: a primeira, investigando a missão científica a ser realizada; e a segunda, estudando o tipo de sistema que deverá atendê-la.

“Esta reunião foi muito significativa, marcou o início de um projeto ambicioso, realizado em parceria entre Brasil, Estados Unidos e Israel, e demonstra o reconhecimento de nossa competência e potencial para atuação nas atividades da área aeroespacial”, comentou o Reitor do ITA, Anderson Ribeiro Correia.

Segundo o professor Loures, esse trabalho de estudo da Pré-Fase A, confiado pela Agência Espacial Brasileira ao ITA, demonstra a confiança da agência no nível técnico alcançado pelo Instituto no projeto de Sistemas Espaciais. “Essa competência iniciou com o ITASAT, financiado pela AEB, e se consolidou definitivamente com o nosso trabalho com a NASA e universidades americanas no satélite SPORT. O ITA se estabelece como um ‘player’ neste nicho espacial e o nosso caminho mostrará que faremos muito mais. Após terminarmos este estudo, iniciaremos atividades de projeto em 2021”, explicou.

 

© Information & Design Solutions, S.L. Todos los derechos reservados. Este artículo no puede ser fotocopiado ni reproducido por cualquier otro medio sin licencia otorgada por la empresa editora. Queda prohibida la reproducción pública de este artículo, en todo o en parte, por cualquier medio, sin permiso expreso y por escrito de la empresa editora.

AÑADE TU COMENTARIO

Publica tu opinión sobre esta noticia.

Nombre*
e-mail*
Comentario*

Comentarios

SÍGUENOS EN


ENVÍO DE LA NOTICIA A UN AMIGO
Correo electrónico
Tu nombre
Mensaje